Kon-Tiki, Joachim Rønning, Espen Sandberg (2012)

Thor Heyerdal era um explorador norueguês com uma teoria que todos achavam louca: os primeiro habitantes da Polinésia Francesa vieram da América Latina, e não da Ásia como teimava o conhecimento vigente.

Ninguém publicava os seus livros, ninguém queria financiar a sua expedição para provar que estava certo. Então convidou uns amigos tão loucos quanto ele, construiram uma jangada com técnicas ancestrais e, em 1947, passam cerca de 100 dias em alto mar, uns com mais fé que outros.

 

Dallas Buyers Club, Jean-Marc Vallée (2013)

Quando Ron, o cowboy homofóbico clássico, descobre que tem sida, dizem-lhe que tem 30 dias de vida (estamos em 1985). Com isso descobre um instinto de sobrevivência que o leva para lá dos preconceitos. Com o objetivo de lutar contra as patéticas regras da FDA, cria o Dallas Buyers Club que vende assinaturas de medicamentos menos tóxicos e com resultados comprovados…mas proibidos.

O mal do Verão

É quando se começa a ver séries boas. Depois da febre da IIGGM, retomámos o nosso querido Boardwalk Empire, agora terminado.

E depois apontamos para os Vikings, tão recomendados. Com personagens retiradas das sagas, com o quê de verdade que têm, é muito interessante ver a história desenrolar-se do ponto de vista dos “Bárbaros”.

Mas a série que nos fazia deitar às 2am era o True Detective. Com prestações incríveis dos protagonistas. Valeria a pena só por isso.