1 Second Everyday – Novembro 2017

November was super sunny and full of events, all kinds of them. It started with my 32nd b-day celebrated in beautiful Santiago de Compostela with Luis, canas and tapas. In Guimares #wudccg happened and it was so great to meet everyone. Then little MJ was born, I hiked in this cool weather – but burned environs. At work, chesnuts and jeropiga, some time spent caving, and some time in serious places with serious paintings. Also, we grabbed the house by the horns and we are finally making it a home.

Anúncios

14 Diaries of the Great War, Jan Peter (2014)

O centenário da Grande Guerra foi celebrado com muita sobriedade, e com muito rigor. Acompanhei os podcasts da BBC com registos audio da biblioteca nacional britânica, entrevistas aos sobreviventes realizadas há décadas atrás e todas as histórias são, para mim, fascinantes.

E ser fascinante é um problema. Remete para o pouco real, o cristalizado, analisável, estanque.

Esta série foi diferente. Está organizada de uma forma muito interessante, com vídeos da época e muito boas recriações históricas. Tudo narrado com excertos de diários reais, escritos na incerteza das trincheiras, das casas saqueadas, dos hospitais cheios de gritos.

Pela primeira vez pensei que tudo o que lemos sobre a IGGM foi escrito por pessoas que souberam entretanto como terminou e como deveriam então analisar a conjuntura que conduziu a. Mas ouvir os diários tem um toque completamente diferente. Percebemos a leveza com que todos embarcaram na aventura que era a guerra, como acreditavam que ia ser rápida, como eram patrióticos. E depois com o passar do tempo como questionavam tudo, como se embebedavam, empederniam, e vagueavam exaustos. Os diários são interessantes porque são incertos. Por acaso já sabemos o fim, mas aquelas 14 e mais pessoas que ouvimos, não faziam a mais pálida ideia.

Felizmente a série está toda disponível aqui, e recomendo mesmo.

Assim fiquei a conhecer a minha nova heroína, Marina Yurlova, que com 14 anos e espírito cossaco decidiu ir atrás do pai, convocado para combater pela Rússia. Passa assim por exércitos, tiroteios, prisões, hospitais, a história mais mirabolante cheia de graça e coragem.

Imbuída deste espírito documental, alinhei na iniciativa da europeana.eu que incentiva pessoas a transcreverem os diários de guerra para formato digital. Podem ler mais sobre a Transcribathon aqui.

Displacement, Lucy Knisley

displacement_revised.jpg

Esta semana recebi esta linda surpresa da r. Como tive esperas inesperadas em transportes públicos, li-o rapidamente, com alguma emoção aqui e ali.

Knisley volunteers to watch over her ailing grandparents on a cruise. (The book’s watercolors evoke the ocean that surrounds them.) In a book that is part graphic memoir, part travelogue, and part family history, Knisley not only tries to connect with her grandparents, but to reconcile their younger and older selves. She is aided in her quest by her grandfather’s WWII memoir, which is excerpted. Readers will identify with Knisley’s frustration, her fears, her compassion, and her attempts to come to terms with mortality, as she copes with the stress of travel complicated by her grandparents’ frailty. In beautiful, full-color watercolor pages, this book is a tribute to family, youth and age. (source)

1 Second Everyday – Outubro 2017

Chiça Outubro, ocupado e estranhamente soalheiro Outubro. Deste-me encontros com amigos, eleições, uma agenda de trabalho saltitante, os meus escuteiros, uma bela viagem a Lisboa e um bolo de sangue de morcego.


Wow October, busy busy, and awkwardly sunny October. You gave me meetings with friends, elections, a very non-linear work agenda, my scouts as usual, a great trip to Lisbon and some bat-blood cake

En man som heter Ove, Hannes Holm (2015)

a_man_called_ove_-_2

Quando alguém se propõe a ver um filme sueco, não espera que seja tão doce, fofinho e cómico. “Um Homem chamado Ove” é mesmo isso, a história de um homem chamado Ove que preza a ordem, a limpeza, a simetria e faz questão de o mostrar sem problemas de simpatia.

Ove sente-se só após a morte da sua mulher, e tenta suicidar-se muitas vezes. Mas, e apesar de todo o seu método, é sempre interrompido!

Todas as árvores do campo baterão palmas

Reza a história que quando nos despedimos o abraço, aquele abraço, foi dado com um carro parado na estrada – porque era de madrugada – com todas as portas abertas, e esta música a tocar enquanto esperavam.

Eu não me lembro da música, lembro-me do resto.

O título é bíblico. Porque com alegria saireis, e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cântico diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas. Isaías 55:12

Eu não me lembro da música, mas que bom que foi esta.

If I am alive this time next year
Will I have arrived in time to share?
And mine is about as good this far
And I’m still applied to what you are

And I am joining all my thoughts to you
And I’m preparing every part for you

And I heard from the trees a great parade
And I heard from the hills a band was made
And will I be invited to the sound?
And will I be a part of what you’ve made?

And I am throwing all my thoughts away
And I’m destroying every bet I’ve made
And I am joining all my thoughts to you
And I’m preparing every part for you
For you