Mars, National Geographic (2016)

2109007_mars-daedalus-crew_v6mlcrmozrc2k5z5artrusdw3hwlabrvowocogo4gq7rtwktcyca_1200x540

Esta produção da National Geographic é espantosa. Emparelha todo o conhecimento adquirido até 2016, juntando os maiores especialistas do espaço e de Marte, com uma utopia em 2037 quando finalmente se consegue enviar a primeira expedição a Marte. Com o pouco que sei, parece muito realista, com inúmeros problemas a acontecer no Monte Olimpo em Marte a esta pequena equipa de colonos.

1 Second Everyday – Maio 2017


Em maio tivemos uma festa surpresa, cozinhamos, aprendemos, fizemos pão, ouvimos gaitas de foles e o desporto de “tapear” foi devidamente praticado. Houve a Braga Romana sob muita chuva, mas são sempre uns dias muito divertidos. Cortei o cabelo e aconteceu o Salvador – mas que nunca nos esqueçamos do representante de Montenegro.


In May we had a surprise party, cooked, learned, made bread, heard bagpipes and the sport of tapeo was duely practised. There was Braga Romana under a lot of rain, but it’s always a fun couple of days. Oh, and I cut my hair and there was also Salvador – but let’s never forget Montenegro.

Objectified, Gary Hustwit (2009)

OBJECTIFIED

Há umas semanas fui a um evento, e numa conversa, ao descobrirem o que eu faço, recomendaram-me este documentário. À medida que o via comecei a achar demasiado flagrante nunca o ter visto antes – depois percebi que faz parte de uma “trilogia” onde se insere este documentário também. É um conjunto de designers e artesãos a refletir sobre o design do produto, e em todo o processo que envolve criar algo (e lidar com o facto de esse algo poder ser descartado). É fácil de o encontrar online, vale a pena.

1 Second Everyday – Abril 2017

April was sunny and saw us buying a coffee machine – we’re doomed – and having the first beers after work. M. discovered motion sickness and I discovered Tibães monastery with my kids. It’s really worth a visit. Easter and its processions came, I washed my car for the first time, and saw funny soccer matches. Tasted martini rosso with beer (it’s ok) and treated my b-day father with a fancy dinner. Then one night I was home alone and discovered Snapchat’s filters. I also found Roberto Carlos, lost. Hiked a bit. And danced a lot – k-pop!

The Road, John Hillcoat (2009)

FIvOPywB2x3jyC_2_a

Há filmes que se colam, que dormem connosco, que acordam connosco, que ressacam connosco durante dias. Este foi um deles. Só me consigo lembrar de outro que teve um efeito parecido, que foi este. 

A história é simples. Num cenário apocalíptico, pai e filho tentam sobreviver, com o único objetivo de rumarem a Sul. Não há vida, os recursos são quase nenhuns, e existem gangs de canibais que caçam e mantêm humanos em cativeiros. Em tons cinzentos, sempre, com fome, sempre, tentam levar os dias mantendo alguma chama de bondade e humanidade.

Mas não deixa nunca de ser tenso, de nos deixar alerta ao jeito de filme de terror, muito realista no meio deste cenário tão improvável.