O Sol Nasce Sempre (Fiesta), Ernest Hemingway

A primeira guerra terminara há poucos anos e os mesmos que combateram nela passeiam-se por Paris. Todos eles ingleses ou americanos, todos desterrados, todos estranhos à terra mas completamente embrenhados no reboliço da capital francesa.

Há raparigas, há muito alcool, música, uma aparente agitação que preencheria os mais jovens. Mas não. Vazios, desmotivados, maldizem Paris, só querem sair de lá. Experimentam Espanha. Os touros. O vinho. O calor. Todos tão genuínos. Os touros. O toureiro. Mas todos perdidos em toda a parte. Uma geração de baratas tontas.

A leitura foi cronologiamente acertada, depois do Grande Rebanho. Mas muito mais lenta, por não haver um enredo na verdade. São todos interessantes, mas estão todos perdidos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s