Berlin, City of Stones (Jason Lutes, 2000)

Só tenho tido espaço no cérebro para banda desenhada. Fora do trabalho, é tudo o que leio. Dá-me pistas visuais que não tenho de ler. Descrições evitadas, imaginação limitada.

Nem parece que o meu livro de eleição são Os Maias.

Berlin, city of Stones foi uma boa surpresa. Retrata Berlim entre as duas grandes guerras, e dá-nos uma perspetiva muito diferente daquela que nos transmitem nas aulas de história. Aqui vemos a amargura dos que combateram e não foram recompensados, o azedume dos trabalhadores contra a ostentação burguesa. A arte e a vida a serem debatidas.

Ao longo de todo o livro sente-se uma grande  sombra a aproximar-se. Por causa do que sabemos ou porque Lutes o faz bem demais, ficamos sempre com dúvidas se aquele personagem regressa, se aquele personagem vai para um campo de concentração dentro de alguns anos, se aquele outro vai ser um militante nazi.

Não consigo mesmo entender ou destrincar se é um excelente enredo, ou um excelente aproveitamento do que já sabemos. É isso que dá ainda mais drama a uma novela calma, de tranquilidade antes da tempestade.

 

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s