The end is the beggining is the end

 

Vou fazer um Doutoramento.

Decretei o ano de escrita da minha tese de Mestrado como o pior ano da minha vida.

No final da defesa disse a um dos júris que queria ser etnógrafa. Depois fui à biblioteca e trouxe as “Danças Portuguesas” de Pedro Homem de Mello, entre outros, para ler.

Repeti-me “Deixa lá isto”, da mesma forma que me repito “Esquece, tu não gostas de montanhas-russas”.

Vejo amigos em agonia, ou stress, ou pavor, prestes a terminar a sua tese de doutoramento.

 

Mas sempre fui inconsequente otimista.

Entretanto passaram-se cinco anos, experimentei coisas diferentes.

Tive trabalhos das nove às cinco, como queria. Mas começava a mirrar, em todos eles.

Cresci (um bocadinho). Sou mais dedicada (um bocadinho).

 

É um desafio, estou entusiasmada, estou comprometida.

2 comments

  1. jouimaria

    Eu acho que tu tens muito estofo para fazeres uma coisa consequente, sem ficares doida (quer dizer, toda a gente deve sucumbir a variados graus de loucura durante o processo). E acho que é um processo que vale a pena. É como subir uma montanha: custa um bocadinho, mas quando se chega lá acima a vista é magnífica.

    [agora vou ali tentar dizer-me isso a mim própria lol]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s