Fax from Sarajevo (1998) Joe Kubert

Uma leitura às cegas, que me prendeu em todas as viagens e em todo o tempo livre.

Em 1992 Sarajevo foi cercada por tropas sérvias. O cerco mais longo da história terminou apenas em 1996, e aqui acompanhamos a tensão enquanto tudo se desenrola, e enquanto as famílias ficam paralizadas, a não acreditar no que viam pelas janelas.

Erwin era um editor bósnio de renome, que publicava comics de diversos autores de todo o mundo. Um pouco contrariado, parte da Eslovénia para Sarajevo, onde a esposa e filhos também acabam de chegar da Holanda.

Poucos dias depois a cidade é cercada, os bombardeios, os snipers, as granadas arrancam e não mais param. A família perde casa, perde tudo, vai perdendo a esperança. Erwin mantém ligação com os amigos através de fax’s que envia de ministérios, do hospital, qualquer sítio com eletricidade. Os faxes relatam tentativas de fuga, ajudas governamentais, todas elas falhadas.

O livro é agonizante. O estilo de desenho desencorajou-me no início, mas ainda bem que continuei. Ficamos mesmo ali ao lado. Com o Sacco é diferente. O “Safe Area Gorazde” incomoda de forma diferente.

Dei por mim a pensar “Como, mas como é que se permitiu que se arrastasse tanto tempo?” mas depois…estamos a assistir a isso hoje em dia. Impávidos.